Psicologia das Cores | A Influência das Cores No Marketing e Marcas

A psicologia das cores é uma ferramenta muito importante usada por artistas, decoradores de interiores e como mecanismo de marketing em muitas indústrias. 

“É a paleta usada por Dali que torna sua obra de arte bizarra e amplifica o hiperrealismo que ele pretende criar”.

Quando visitamos um museu para apreciar uma obra de arte, nós o absorvemos através das cores que vemos, porque invocam dentro de nós certas emoções, fazendo a afirmação de que todos a vêem de forma diferente como uma realidade. 

Decoradores de interiores pesquisam o efeito das cores ao decidir que cor (ou melhor, associações de cores) as paredes de uma determinada área em um prédio serão pintadas.

A razão pela qual muitos escritórios têm muitos tons de cinza, azul e marrom na decoração é porque essas cores tendem a aumentar a produtividade. No entanto, isso não é uma regra. Isso vale para um ambiente corporativo, mas se alguém trabalhasse, por exemplo, na indústria da moda ou na mídia, o uso de tintas mais brilhantes e mais “coloridas” ajudaria a estimular a criatividade.

Muitos comerciais de carros, por exemplo, mostram o preto como modelo, porque essa determinada cor está associada à riqueza, glamour e à seriedade. Isso leva o consumidor a acreditar que vale a pena comprar o produto.

Até mesmo a indústria de alimentos e bebidas usa cores para atrair mais pessoas para determinadas marcas. A embalagem roxa e dourada de uma determinada marca de barra de chocolate é uma técnica que leva o consumidor a acreditar que se trata da realeza do chocolate, estimulando a comprar “o melhor dos melhores”.

Culturalmente falando, as cores têm valores diferentes ligados a elas também. Uma noiva no mundo ocidental usa branco, onde uma viúva usa no sul da Ásia.

Equívocos em torno da psicologia das cores

É provável que as preferências pessoais, experiências, educação, diferenças culturais e contextos podem diferenciar o efeito que a psicologia das cores individuais têm sobre nós.

Portanto, a ideia de que cores como amarelo ou roxo são capazes de evocar algum tipo de emoção hiper-específica é tão precisa quanto a leitura padrão da palma da mão.

Mas ainda há muito o que aprender e considerar se aceitarmos humildemente que respostas concretas não são uma garantia. A chave é procurar maneiras práticas de tomar decisões sobre a psicologia das cores, e não levar todas as informações como a verdade total.

A importância da psicologia das cores na marca

Primeiro, vamos abordar o “branding“, que é uma das questões mais importantes relacionadas à percepção de cores e à área em que muitos artigos sobre esse assunto se deparam com problemas.

Como mencionado, houve inúmeras tentativas de classificar as respostas dos consumidores a diferentes cores individuais:

psicologia das cores - emoções das cores

Fonte da imagem: thelocompany.net

Traduzindo esta importante imagem acima tirada de thelogocompany.net:

  • Amarelo: otimismo, clareza, calor
  • Laranja: amigável, alegre, confiança
  • Vermelho: excitação, jovialidade
  • Violeta: criativo, imaginativo, sensato
  • Azul: confiável, força
  • Verde: calmo, crescimento, saúde
  • Cinza: equilíbrio, neutro, calma

A cor estimula nosso cérebro, e desde os tempos antigos provou ser uma psicoterapia alternativa útil. Os egípcios e chineses usaram cores para curar, um processo que é conhecido como cromoterapia. Cores foram usadas para ajudar o corpo a funcionar melhor.

No entanto, há muita dúvida que prevalece hoje, no que diz respeito à eficácia da “terapia da cor”. Como todo ser humano tem diferentes emoções ligadas a cores diferentes, o significado universal das cores pode ou não funcionar nesses casos.

A psicologia das cores e as associações são uma parte interessante do complexo sistema de trabalho do nosso cérebro, mas com tantas questões científicas ainda não respondidas, e diferenças nos apegos culturais às cores, só pode ser utilizada através da observação e experiência. De como as cores influenciaram cérebros ao longo dos anos.

Mas a verdade é que a cor é muito dependente de experiências pessoais para ser universalmente traduzida para sentimentos específicos. Existem, no entanto, padrões mais amplos de mensagens que podem ser encontradas nas percepções de cores.

Estudos feitos Por eEmeraldInsight.com, Sagepub.com, Springer.com e Wiley.com descobriram o seguinte:

  • 90% dos julgamentos feitos sobre os produtos podem ser baseados apenas na cor, dependendo do produto. Em relação ao papel que a cor desempenha no branding, a relação entre marcas e cores depende da adequação percebida da cor usada para a marca em particular (a cor “ajusta” o que está sendo vendido?).
  • A intenção de compra é muito afetada pelas cores devido ao seu efeito sobre como uma marca é percebida; As cores influenciam a forma como os clientes veem a “personalidade” da marca em questão.
  • Quando se trata de escolher a cor “certa”, prever a reação do consumidor à adequação da cor é muito mais importante do que a própria cor individual.

Estudos adicionais revelaram que nossos cérebros preferem marcas imediatamente reconhecíveis , o que torna a cor um elemento importante na criação de uma identidade de marca. É importante que as novas marcas escolham cores que garantam a diferenciação de concorrentes arraigados – pessoalmente, acho que estamos entrando em detalhes sem contexto adicional; como e por que você está se posicionando contra um concorrente direto e como você está usando cores para atingir esse objetivo.

Às vezes, as marcas podem cruzar duas características, mas são predominantemente dominadas por uma. Enquanto certas cores se alinham amplamente com características específicas (por exemplo, marrom com robustez, roxo com sofisticação e vermelho com entusiasmo), quase todo estudo acadêmico sobre cores e branding lhe dirá que é muito mais importante que as cores suportem a personalidade que você deseja retratar, em vez de tentar se alinhar às associações de cores estereotipadas.

Considere a imprecisão de fazer afirmações amplas como “verde significa calma”. O contexto está ausente: às vezes o verde é usado para classificar questões ambientais , mas outras vezes significa “espaços” financeiros!

Conclusão : Não há diretrizes claras para escolher as cores da sua marca. “Depende” é uma resposta frustrante, mas é a verdade. No entanto, o contexto em que você está trabalhando é uma consideração essencial. É o sentimento, humor e imagem que sua marca ou produto cria que importa.

Joe Hallock fez um trabalho muito interessante sobre “Atribuição de cores. Os dados de Hallock mostram algumas preferências claras em certas cores entre os sexos (a maioria de seus entrevistados eram de sociedades ocidentais). Os pontos mais notáveis ​​em suas imagens são a supremacia do azul em ambos os sexos e a disparidade entre os grupos no roxo.

É importante notar que o ambiente – especialmente a percepção cultural – desempenham um papel importante em ditar a adequação da cor para o gênero, o que, por sua vez, pode influenciar as escolhas individuais.

Aqui estavam as descobertas de Hallock:

Cores favoritas masculinas e femininas

estudo das cores

Cores menos favoritas masculinas e femininas

cores e seus significados

Pesquisas adicionais em estudos sobre percepção de cores e preferências de cores mostram que, quando se trata de tons, tintas e cores , os homens geralmente preferem cores fortes, enquanto as mulheres preferem cores mais suaves. Além disso, os homens eram mais propensos a selecionar tons de cores como seus favoritos (cores com preto), enquanto as mulheres são mais receptivas às cores (cores com branco).

Embora esta seja uma questão muito debatida na teoria cores e seus significados, nunca entendi por quê.

As marcas podem facilmente trabalhar fora dos estereótipos de gênero – na verdade, eu diria que muitas foram recompensadas por fazer, porque elas quebram as expectativas. “A adequação percebida” não deve ser tão rígida a ponto de pressupor que uma marca ou produto não pode ser bem-sucedido porque as cores não correspondem aos gostos pesquisados.

Coordenação de cores e conversões

O princípio psicológico conhecido como o Efeito de Isolamento afirma que um item que se destaca como um é mais provável de ser lembrado. A pesquisa mostra claramente que os participantes são capazes de reconhecer e recordar um item muito melhor – seja texto ou imagem – quando ele se destaca do ambiente.

Dois estudos sobre combinações de cores, um medindo a resposta estética e outro olhando para as preferências do consumidor , também descobriram que, embora a grande maioria dos consumidores prefira padrões de cores com tons semelhantes, eles preferem paletas com uma cor de destaque altamente contrastante.

Em termos de coordenação de cores, isso significa criar uma estrutura visual que consiste em cores análogas básicas e contrastá-las com cores complementares de acentuação (ou terciárias):

significado de cores

Outra maneira de pensar nisso é utilizar cores de plano de fundo, como mostra o designer Josh Byers abaixo , para criar uma hierarquia em seu site que “treina” os clientes em que cor incentiva a ação.

Por que isso importa? Embora você possa começar a se sentir como um decorador de interiores depois de ler esta seção, entender esses princípios ajudará a evitar que você consuma a otimização da taxa de conversão que engana tanta gente.

Estudo das cores no Marketing

Existem quatro cores primárias psicológicas – vermelho, azul, amarelo e verde. Eles se relacionam respectivamente com o corpo, a mente, as emoções e o equilíbrio essencial entre esses três.

As propriedades psicológicas das onze cores básicas são as seguintes:

VERMELHO. 

cores no marketing vermelho

Positivo: coragem física, força, calor, energia, sobrevivência básica, “luta ou fuga”, estimulação, masculinidade, excitação.

Negativo: Desafio, agressão, impacto visual, tensão.

Sendo o comprimento de onda mais longo, o vermelho é uma cor poderosa. Embora não seja tecnicamente o mais “visível”, ele tem a propriedade de parecer estar mais perto do que está e, portanto, chama a atenção primeiro. Daí a sua eficácia nos semáforos em todo o mundo.

Seu efeito é físico; nos estimula e aumenta a pulsação, dando a impressão de que o tempo está passando mais rápido do que é. Relaciona-se ao princípio masculino e pode ativar o instinto de “luta ou fuga”.

O vermelho é forte e muito básico. O vermelho puro é a cor mais simples, sem sutileza. É estimulante e animada, muito amigável. Ao mesmo tempo, pode ser percebido como exigente e agressiva.

AZUL.

significado da cor azul

Positivo: Inteligência, comunicação, confiança, eficiência, serenidade, dever, lógica, frieza, reflexão, calma.

Negativo: frieza, indiferença, falta de emoção, hostilidade.

Azul é a cor da mente e é essencialmente calmante; isso nos afeta mentalmente, ao invés da reação física que temos ao vermelho. Azuis fortes estimularão pensamentos claros e azuis mais leves e suaves acalmarão a mente e ajudarão na concentração. Por conseguinte, é sereno e mentalmente calmante. É a cor da comunicação clara.

Objetos azuis não parecem estar tão perto de nós quanto os vermelhos. O azul é a cor favorita do mundo. No entanto, pode ser percebido como frio, sem emoção e hostil.

AMARELO. 

livro sobre cores

Positivo: Otimismo, confiança, auto-estima, extroversão, força emocional, simpatia, criatividade.

Negativo: Irracionalidade, medo, fragilidade emocional, depressão, ansiedade, suicídio.

O comprimento de onda amarelo é relativamente longo e essencialmente estimulante. Neste caso, o estímulo é emocional, portanto, amarelo é a cor mais forte, psicologicamente. O amarelo certo elevará nossos espíritos e nossa auto-estima; é a cor da confiança e do otimismo. Muito disso, ou o tom errado em relação aos outros tons em um esquema de cores, pode causar o despencamento da auto-estima, dando origem ao medo e ansiedade.

VERDE.

psicologia das cores design

Positivo: Harmonia, equilíbrio, amor universal, descanso, restauração, reafirmação, consciência ambiental, equilíbrio, paz.

Negativo: Tédio, estagnação, brandura, enervação.

O verde atinge os olhos de tal forma que não requer nenhum ajuste e é, portanto, repousante. Estar no centro do espectro é a cor do equilíbrio – um conceito mais importante do que muitas pessoas imaginam.

Quando o mundo à nossa volta contém muito verde, isso indica a presença de água e pouco perigo de fome, por isso somos tranquilizados pelo verde, em um nível primitivo. Negativamente, pode indicar estagnação e, usado incorretamente, será percebido como muito insípido.

VIOLETA. 

psicologia da cor

Positivo: Consciência espiritual, contenção, visão, luxo, autenticidade, verdade, qualidade.

Negativo: Introversão, decadência, supressão, inferioridade.

O comprimento de onda mais curto é violeta, freqüentemente descrito como roxo. Leva a consciência a um nível mais elevado de pensamento, até mesmo nos reinos dos valores espirituais.

É altamente introvertido e encoraja a contemplação profunda ou a meditação. Tem associações com a realeza e geralmente comunica a melhor qualidade possível.

Sendo o último comprimento de onda visível antes do raio ultravioleta, tem associações com o tempo e o espaço e o cosmos. O uso excessivo pode trazer muita introspecção e o tom errado, comunicar algo barato e desagradável, mais rápido que qualquer outra cor.

LARANJA. 

psicologia cores

Positivo: conforto físico, comida, calor, segurança, sensualidade, paixão, abundância, diversão.

Negativo: Privação, frustração, frivolidade, imaturidade.

Como é uma combinação de vermelho e amarelo, o laranja é estimulante e a reação a ele é uma combinação do físico e do emocional. Focaliza nossas mentes em questões de conforto físico – comida, calor, abrigo etc. – e sensualidade. É uma cor ‘divertida’.

Negativamente, ele pode se concentrar exatamente no oposto – privação. Isso é particularmente provável quando o laranja mais forte é usada com preto. Igualmente, muito laranja sugere frivolidade e falta de valores intelectuais sérios.

ROSA. 

cores marketing

Positivo: tranquilidade física, nutrição, calor, feminilidade, amor, sexualidade, sobrevivência das espécies.

Negativo: Inibição, claustrofobia emocional, emasculação, fraqueza física.

Por ter um tom de vermelho, rosa também nos afeta fisicamente, mas acalma, ao invés de estimular. (Curiosamente, o vermelho é a única cor que tem um nome totalmente separado para seus tons. Tonalidades de azul, verde, amarelo, etc… são simplesmente chamadas de azul claro, verde claro.)

Rosa é uma cor poderosa, psicologicamente. Representa o princípio feminino e a sobrevivência da espécie; é nutritivo e fisicamente calmante. Rosa em excesso é fisicamente drenante e pode ser um pouco emasculado.

CINZA

as cores e seus significados

Positivo: neutralidade psicológica.

Negativo: Falta de confiança, umidade, depressão, hibernação, falta de energia.

Cinza puro é a única cor que não tem propriedades psicológicas diretas. É, no entanto, bastante supressivo.

A virtual ausência de cor é deprimente e, quando o mundo fica cinza, somos instintivamente condicionados a entrar e nos preparar para a hibernação. A menos que o tom preciso esteja correto, o cinza tem um efeito de atenuação em outras cores usadas com ele. O uso pesado de cinza geralmente indica falta de confiança e medo de exposição.

PRETO. 

significado de cores-cores para site

Positivo: Sofisticação, glamour, segurança, segurança emocional, eficiência, substância.

Negativo: Opressão, frieza, ameaça, peso.

Preto são todas as cores, totalmente absorvidas. As implicações psicológicas disso são consideráveis. Cria barreiras de proteção, pois absorve toda a energia que vem em sua direção e envolve a personalidade.

O preto é essencialmente uma ausência de luz, uma vez que nenhum comprimento de onda é refletido e pode, portanto, ser ameaçador; muitas pessoas têm medo do escuro. Positivamente, comunica clareza absoluta, sem nuances finas.

Ele comunica sofisticação e excelência intransigente e funciona particularmente bem com o branco. O preto cria uma percepção de peso e seriedade.

É um mito que as roupas pretas ajudam emagrecer?

  • A verdade por trás do mito é que o preto é a cor mais recessiva, uma questão de não chamar a atenção para si mesmo, em vez de realmente fazer você parecer mais magra(o).

BRANCO.

(por motivos óbvios eu não vou marcar o texto como branco pra não sumir. Nem a imagem. 🙂 )

Positivo: Higiene, esterilidade, clareza, pureza, limpeza, simplicidade, sofisticação, eficiência.

Negativo: Esterilidade, frieza, barreiras, inimizade, elitismo.

Assim como o preto é a absorção total, o branco é o reflexo total. Com efeito, reflete a força total do espectro em nossos olhos. Assim, também cria barreiras, mas diferentemente do preto, em muitas vezes, é uma dificuldade de se olhar. Ele se comunica: “Não me toque!” Branco é pureza e, como preto, intransigente; é limpo, higiênico e estéril.

O conceito de esterilidade também pode ser negativo. Visualmente, o branco aumenta a percepção do espaço. O efeito negativo do branco sobre as cores quentes é fazê-las parecerem atraentes.

MARROM. 

logo psicologia

Positivo: Seriedade, calor, natureza, terrenidade, confiabilidade, apoio.

Negativo: Falta de humor, peso, falta de sofisticação.

Marrom geralmente consiste em vermelho e amarelo, com uma grande porcentagem de preto. Consequentemente, tem muito da mesma seriedade que o preto, mas é mais quente e mais suave.

Tem elementos das propriedades do vermelho e amarelo.

Marrom tem associações com a terra e o mundo natural. É uma cor sólida e confiável e a maioria das pessoas a considera silenciosa – mais positivo do que o preto, que é supressivo, em vez de solidário.

Chegamos ao final!

Na verdade, podemos ter levantado mais perguntas do que respostas com este artigo!

A natureza caleidoscópica da teoria das cores significa que talvez nunca tenhamos respostas definitivas sobre este assunto.

Gostou deste artigo sobre psicologia das cores? Deixe seu comentário abaixo! 🙂

Sobre o Autor:

Avatar for Jader Tormen
Um Cara Apaixonado por empreendedorismo, marketing digital e blogs. Meu objetivo aqui é impactar positivamente todas as pessoas que entram neste espaço! :)